Uberaba / MG - segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Colposcopia

A Colposcopia é um exame no qual examinamos a vulva (a parte externa da vagina), a vagina e o colo uterino. Basicamente é idêntico ao exame ginecológico, no qual utilizamos também um espéculo vaginal para ver o interior da vagina e o colo uterino. Na colposcopia, ao invés de examinarmos estes órgãos a olho nu, utilizamos um aparelho chamado colposcópio. Ele funciona como um microscópio e não entra em contato ou é colocado dentro da paciente. O médico olha através dele, a cerca de 30 cm da superfície que está sendo examinada. Durante o exame, são pincelados líquidos reagentes, que revelam as alterações destas superfícies. A colposcopia não dói.
 
Recomendações para a realização do exame:

  • A paciente deve levar sempre o resultado do citopatológico atualizado.
  • O colo e/ou vagina não devem ter sido traumatizado por exames ou explorações recentes.
  • Abstinência sexual por 48 horas antes da realização do exame.
  • Deve ser realizada na primeira fase do ciclo menstrual (de preferência entre o 9° e 14° dia do ciclo).
  • Se estiver fazendo uso de anticoncepcional oral, dar preferência ao anovulatório seqüencial, ou em casos especiais suspender por dois ciclos, antes da colposcopia.
  • Após histerectomia total o exame deve ser realizado em qualquer momento, porém em caso de alteração do trofismo é aconselhável um preparo estrogênico prévio, orientado pelo ginecologista.
  • Nas mulheres menopausadas também é indicado preparo estrogênico por dez ou doze dias, encerrando a medicação no dia do exame (não é perigoso pois as doses administradas são insuficentes para fazer sangrar o endométrio ao cessar o tratamento).
  • Pacientes gestantes podem ser submetidas ao exame colposcópico quando for indicado. Deve atentar-se para as modificações estruturais, provocadas pela gestação, o que pode dificultar a interpretação de imagens anormais. Só o exame seqüencial e o seguimento citológico darão subsídios para excluir as dúvidas.

 

 

Quais as mulheres que devem  realizar uma colposcopia?
Há vários razões para as quais se indica a colposcopia: naqueles casos onde a citologia (teste de Papanicolaou ou exame preventivo) mostrou células anormais, ou para mostrar que as alterações cervicais não são causa para preocupação.
É indicado também quando uma área pareça incomum no colo de útero, ou pela presença de certas condições médicas. A necessidade de uma colposcopia somente indica que o colo, a vulva e/ou a vagina precisa de um exame mais cuidadoso. Ela ajuda no diagnóstico e planejamento do tratamento.  Quando são encontradas alterações, a colposcopia ajuda determinar as áreas nas quais devem ser feitas biópsias.    

 

Como se realiza a colposcopia?
Durante o exame se coloca um espéculo vaginal (também conhecido como bico de pato) para separar as paredes da vagina, como se faz ao colher a citologia.
O colposcópio permanece a cerca de 30 centímetros em frente à vagina, mas ele não terá nenhum contato com a paciente. Nada disto causa dor apenas um certo incômodo passageiro. O médico que esta realizando o exame aplicará uma solução de vinagre diluído e depois outra com iodo sobre o colo uterino e a vagina para identificar qualquer área anormal (a paciente deverá informar-lhe de antemão se é alérgica ao iodo). Como conseqüência, é possível que sinta um pouco de ardor que também e transitório, sendo que a maioria das pacientes não sente nada. É possível que se utilizem vários lentes de aumento ou filtros de diferentes cores para assim avaliar melhor a área examinada. Em algumas ocasiões se tomarão fotografias do colo, da vagina, ou da vulva para fazer parte do prontuário clínico ou para elaboração de um laudo.  

  • Se áreas anormais forem diagnosticadas durante a colposcopia, com freqüência se realiza uma ou múltiplas biopsias para ajudar no diagnóstico. Durante a biopsia se toma um fragmento muito pequeno de tecido desta área anormal. O sangramento causado pela biopsia pode ser controlado facilmente pela cauterização elétrica ou química e neste caso aplicando nitrato de prata ou uma solução de ferro chamada solução de Monsel . As amostras que se obtêm se enviam ao laboratório para ser examinadas por um médico patologista.

 

 As grávidas podem fazer colposcopia?
Qualquer anormalidade no colo uterino, bem como no trato genital durante a gravidez requer uma avaliação mais minuciosa, como se faz na paciente não grávida. O exame visual através do colposcópio não causa dano algum, e se ele identifica alguma anormalidade, sabe-se que podem ser feitas biopsias sem risco durante a gravidez. A maior parte dos tratamentos em gestantes geralmente são adiados para depois do parto, e é feito acompanhamento com a citologia e a colposcopia.  Com freqüência se repete os exames depois do parto para determinar se o tratamento ainda é necessário, pois muitas das alterações leves desaparecem depois da gravidez.

 

 

 

fonte: Russomano, F., 2000. O que é Colposcopia? Available from: URL: http://www.cervical.com.br